Visualizações de página do mês passado

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Canto turdídeo

Ao longe vejo a beira do lago.
Cantar triste o alegre sabiá.
Voz melancólica a assobiar.
E como eu desejando um afago.

Sabiá triste voa pela tarde.
Tal pétala de lírio ao vento.
Espalhando seu triste lamento.
Toada toda simplicidade.

Não me deixe triste ó alegre ave.
Anseio um motivo para criar.
Saúda-me a toada suave.

E quero te ouvir enquanto nadar.
Mas se quiser ir não vejo entrave.
E só a mim prometa que irá voltar.

Erick Silva

2 comentários:

Izócelis Escaleno disse...

belo soneto, poeta...

Erick Silva disse...

Fico grato, foi o meu primeiro poema.

Postar um comentário